Estresse oxidativo: saiba como combater uma das causas do envelhecimento precoce – Revista Marie Claire

Estresse oxidativo afeta o funcionamento regular da pele (Foto: Reprodução/Pexels)

Quem acompanha o universo da beleza, já deve ter se deparado com o termo “estresse oxidativo” em rótulos de produtos. Isso porque cada vez mais surgem cosméticos com tecnologias feitas para diminuir os efeitos dessa condição, que pode afetar o organismo como um todo. 

“O estresse oxidativo é um dos principais mecanismos do processo de envelhecimento precoce do organismo, ocorrendo quando há uma produção exagerada de radicais livres que o nosso sistema antioxidante natural não é capaz de combater”, explica a Beatriz Lassance, cirurgiã plástica membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Como resultado, ocorrem alterações nas funções das células, modificações no DNA celular e inflamações. “Por conta da alteração e diminuição da atividade celular, o estresse oxidativo causa a aceleração do processo de envelhecimento, com o surgimento de manchas, rugas, linhas de expressão e perda do viço e luminosidade da pele”, destaca Beatriz Lassance.

Além da pele, outras partes do corpo também são afetadas, como os cabelos. “O excesso de radicais livres pode acelerar o aparecimento dos cabelos brancos, já que a síntese de melanina, que é o que dá cor aos fios, fica comprometida”, afirma a dermatologista Paola Pomerantzeff.

O que causa esse excesso de radicais livres que leva ao estresse oxidativo?

“Nosso corpo produz mais radicais livres quando exposto, por exemplo, aos raios UVA e UVB do sol, à poluição e outros hábitos ruins, como fumar e beber excessivamente e estar constantemente sob estresse”, afirma Paola.

Além disso, uma dieta desbalanceada também promove um aumento na produção de radicais livres. “Por exemplo, os alimentos de alto índice glicêmico, como carboidratos, farinhas e açúcares, são rapidamente digeridos pelo organismo e transformados em glicose no sangue, provocando assim um pico de glicemia”, diz.

“Para reequilibrar esse alto nível de glicose no sangue, o organismo aumenta a produção de moléculas que podem se transformar em radicais livres. Se o alto consumo de carboidratos é constante na alimentação, ocorre então o estresse oxidativo”, explica.

A boa notícia é que existe uma série de estratégias que podem ser adotadas para potencializar o sistema antioxidante do organismo de forma a auxiliá-lo na neutralização dos radicais livres e, consequentemente, do estresse oxidativo. Abaixo, especialistas listam algumas dessas medidas:

Aposte em uma alimentação balanceada

A melhor maneira de combater o estresse oxidativo é através da adoção de uma dieta balanceada com nutrientes específicos para neutralizar esse processo. “Existem diversos alimentos que possuem capacidade antioxidante para o combate do estresse oxidativo. Nutrientes como Vitamina C, Vitamina E, oligoelementos, selênio, zinco e polifenóis como resveratrol podem ser usados”, diz a nutróloga Marcella Garcez.

+ Pele no inverno: Use a alimentação como aliada para combater o ressecamento

“Além disso, a categoria alimentícia que inclui temperos e ervas é a que contém mais alimentos ricos em antioxidantes. Frutas vermelhas e vegetais de todas as cores, no geral, também estão entre os alimentos que contêm antioxidantes em quantidades médias e altas”, continua. A médica reforça também a importância de não ingerir fast food, alimentos ultraprocessados, gordurosos e açúcares em excesso.

Exercite-se

Além da alimentação, outra estratégia importante para combater o estresse oxidativo é praticar exercícios físicos regularmente. “Os radicais livres são produzidos em maior quantidade quando praticamos atividade física, mas quando essa prática é realizada na dose certa, bem orientada e de forma regular, apesar de haver um aumento na produção dos radicais livres, o nosso corpo fica mais capacitado em lidar com eles e aumenta a produção de enzimas bloqueadoras de radicais livres, melhorando o estresse oxidativo”, aconselha Beatriz.

Durma bem

Uma boa noite de sono também é uma excelente maneira de combater a ação dos radicais livres. “O sono é um potente detox. Durante o sono produzimos várias substâncias consideradas antioxidantes, como hormônio de crescimento e melatonina. Também ocorre nesse período a diminuição da produção de radicais livres”, diz a médica.

Aposte nos cosméticos antioxidantes

É possível combater a ação dos radicais livres especificamente na pele através da utilização de cosméticos com alta propriedade antioxidante. “Esses cosméticos devem ser formulados com matérias-primas que possuam uma boa permeação e biodisponibilidade, de forma que ele possa chegar às camadas mais profundas e neutralizar a formação de radicais livres”, explica a dermatologista Paola.

Quanto aos ativos antioxidantes que devem aparecer nos cremes, as opções são inúmeras, como a Vitamina C, o ácido ferúlico e o resveratrol, excelentes ingredientes antioxidantes e anti-idade.

Use protetor solar diariamente

“Antes de se preocupar com uma rotina que contenha ácidos e antioxidantes, devemos ter o hábito do uso regular do filtro solar. Ele é o creme antienvelhecimento mais importante. Além disso, preservar a barreira cutânea é fundamental para manter a pele saudável”, finaliza Paola.

Gostou? Comenta aqui oque Achou!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você irá ler nesta matéria