Um detox para ficar ainda mais elegante para o dia da mãe e não só

Isto é algo muito popular, para quem se quer ver livre de umas gordurinhas a mais. Um detox, ou dieta verde, ajuda a eliminar o excesso de líquidos corporais e a desinchar, por isso, é um ótimo método para recuperar o organismo após, por exemplo, excessos alimentares de festas, como foi na Páscoa, ou para mamãs muito atarefadas que deixaram de cuidar da sua alimentação.

A fórmula de o fazer é fácil e acontece em três fases diferentes, nas quais se retiram alimentos com glúten, lactose, açucarados e industrializados, ricos em gorduras e aditivos químicos. Durante um detox há uma maior ingestão de fruta, vegetais e leguminosas, que são ricos em fibras, antioxidantes e minerais, que servem para fortalecer o sistema imunitário e contribuem para o bem-estar geral, para uma melhor qualidade de sono e prevenção de doenças como obesidade e diabetes. Ainda que o detox traga benefícios à saúde, é no entanto essencial que qualquer dieta seja planeada por um nutricionista.

1ª Fase da dieta verde

Alimentos prioritários

Este momento dura entre sete e 14 dias. Aqui, o objetivo é eliminar todas as toxinas do corpo, como os complementos tóxicos e aditivos químicos presentes nos alimentos processados. Esta fase ajuda, ainda, a fortalecer o sistema imunitário. Neste primeiro momento, a prioridade é o consumo de proteínas, sobretudo as magras, assim como vegetais, fruta, castanhas e alimentos como a curcuma e a linhaça.

♦Fruta fresca e preferencialmente biológica. Frutos vermelhos, maçã, laranja, tangerina, mamão, papaia, limão, manga e banana.
♦Vegetais frescos e de preferência biológicos. Brócolos, couve-flor, abóbora, rúcula, couve e tomate.
♦Cereais sem glúten. Arroz integral, trigo-sarraceno e quinoa.
♦Leguminosas. Feijão, soja em grão, grão-de-bico, lentilhas e ervilhas.
♦Proteínas magras. Tofu, tempeh, peixes brancos, frango e ovos.
♦Gorduras saudáveis. Azeite extravirgem, óleo de coco, abacate, coco, noz, castanha-de-caju, castanha-do-pará, sementes de linhaça, de sésamo, de chia e de abóbora.
♦Ervas e especiarias. Curcuma, canela, pimenta, alecrim, tomilho e hortelã.
♦Bebidas naturais.
Água, sumos de fruta, água-de-coco e bebidas vegetais.

Alimentos a excluir

♦ Café e chá verde, por terem cafeína. Bebidas com lactose, bebidas alcoólicas e com açúcar. Pão, massas e alimentos processados.

2.ª fase

Dura entre sete e 14 dias. É a fase em que o organismo elimina resíduos tóxicos pela urina e pelas fezes. Para ajudarmos neste processo através do prato podemos consumir alimentos que estimulam o bom funcionamento do fígado, como alho, chá preto, chá verde, cacau em pó, couve-de-bruxelas e cebola.
♦Fruta fresca e preferencialmente biológica. Uva, romã, laranja, maçã, ameixa, limão, damasco e cereja.
♦Vegetais frescos e de preferência biológicos. Espinafre, cebola, alho, agrião, cenoura, repolho, couve-de-bruxelas, couve-flor, brócolos, pepino, alface, aipo, pimento e tomate.
♦Cereais sem glúten. Arroz integral, milho, trigo-sarraceno e quinoa.
♦Leguminosas. Feijão azuki, soja em grão, grão-de-bico, lentilhas e ervilhas.
♦Proteínas magras. Tofu, tempeh, peixes brancos, peru, frango e ovos.
♦Gorduras saudáveis. Azeite extravirgem, óleo de coco, abacate, coco, noz, castanha-de-caju, castanha-do-pará, sementes de linhaça, de sésamo, de chia e de abóbora.
♦Ervas e especiarias. Curcuma, mostarda em grão, cacau, canela, gengibre, pimenta, alecrim, tomilho e hortelã.
♦Bebidas naturais. Chá verde, chá preto, matcha, água, água-de-coco e sumos de fruta.

Alimentos a excluir

♦ Assim como na fase I, nesta também é importante evitar os alimentos inflamatórios, como o glúten, a lactose, os alimentos processados e os peixes e frutos do mar com grandes quantidades de mercúrio.

3.ª fase

Aqui começa a manutenção de um plano alimentar equilibrado. É importante voltar a introduzir, aos poucos, os alimentos que foram totalmente excluídos na primeira e segunda fases. Vamos voltar a consumi-los, ainda que em pequenas quantidades e de forma menos regular do que outrora.

♦ Fruta fresca e preferencialmente biológica. Uva, banana, laranja, maçã, ameixa, limão, damasco e cereja.
♦ Vegetais frescos e de preferência biológicos. Espinafre, cebola, alho, agrião, cenoura, repolho, couve-de-bruxelas, couve-flor, brócolos, pepino, alface, aipo, pimentão e tomate.
♦ Cereais integrais. Pão integral, massas integrais, arroz integral e quinoa.
♦ Proteínas magras. Carne de porco magro, carne de vaca, peixes brancos, peru, frango e ovos.
♦ Leguminosas. Feijão, soja em grão, grão-de-bico, lentilhas e ervilhas.
♦ Gorduras saudáveis. Azeite extravirgem, óleo de coco, manteiga, noz, castanha-de-caju, castanha-do-pará, sementes de linhaça, de sésamo, de chia e de abóbora.
♦ Laticínios. Leite desnatado, iogurte natural sem açúcar e queijos brancos.
♦ Ervas e especiarias. Mostarda em grão, cacau, canela, gengibre, curcuma, pimenta, alecrim, tomilho e hortelã.
♦ Leguminosas. Feijão, soja em grão, grão-de-bico, lentilhas e ervilhas.
♦ Bebidas naturais. Chás de ervas, água e água-de-coco.

Dica

Após estas três fases há que manter o peso com a ajuda de exercício físico e um plano alimentar equilibrado, algo que pode fazer com acompanhamento de um especialista, se necessário. O conselho é, também, para que evite alimentos industrializados e ricos em açúcar e gorduras, como farinhas refinadas, carnes defumadas, gelados, pizas, comidas instantâneas, óleos vegetais refinados, bebidas alcoólicas, fritos e fast-food.

Nota importante!
Antes de iniciar qualquer dieta deve consultar o seu médico ou nutricionista.

Leia ainda: Dieta californiana. Se quer emagrecer sem contar calorias, este método é ideal

Siga a Revista Maria no Instagram

Gostou? Comenta aqui oque Achou!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você irá ler nesta matéria